Seguro-desemprego é reajustado para teto máximo de R$ 1.677 em 2018

Todos os trabalhadores que foram demitidos com no mínimo cinco meses de registro em carteira e que eram remunerados com mais de um salário mínimo, vão se beneficiar com um reajuste de 2,07% no seguro-desemprego que irão receber. O atual reajuste está baseado na variação do INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor – de 2017.

O atual teto mensal de benefícios irá saltar de R$ 1.643,72 para R$ 1.677,74, uma diferença na casa de R$ 34,02 de acréscimo aos beneficiários. Já de acordo com o piso do seguro-desemprego, esse valor é igual a um salário mínimo, que passou por um reajuste no início do mês de janeiro deste ano, passando de R$ 937 para R$ 954, um pequeno acréscimo de 1,81%, deixando o salário mínimo abaixo da inflação atual.

Para os trabalhadores dispensados que recebem mais que um salário mínimo, o seguro-desemprego é baseado no cálculo de três faixas de salário no país. O trabalhador dispensado que recebia até R$ 1.480,25 irá receber 80% do salário médio limitado ao salário mínimo. Para aquele trabalhador que recebia entre R$ 1.480,25 a R$ 2.467,33, a relação de valores será equivalente a R$ 1.184,20 somados a 50% do valor que exceder R$ 1.480,25. Diante disso, um trabalhador que recebia R$ 2.467,33 irá receber o teto referente ao benefício de R$ 1.677,74.

Os cidadãos que foram desligados sem justa causa direcionados aos recursos do FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador -, terão o seguro-desemprego calculado sobre a média do salário recebido por ele nos últimos três meses anteriores ao desligamento. Se o trabalhador tiver sido desligado antes do período de recebimento completo do seguro-desemprego, o cálculo da quantidade de parcelas será relativo ao tempo de trabalho deste trabalhador dentro daquela empresa, e o número de parcelas irá variar entre 3, 4 ou 5 parcelas.

Fora o atual reajuste no seguro-desemprego, o Ministério da Fazenda também dispõe do benefício para os aposentados e pensionistas. Para os beneficiários que recebem apenas um salário mínimo, o valor terá reajuste de 1,81%. Para quem recebe acima de um salário mínimo, sendo a diferença justificada pela forma utilizada para se fazer o reajuste, baseado no INPC.

Em 2018, o governo espera que o índice tenha variação de 1,81%. O reajuste passou a ser menor do que o resultado oficial de 2,07%, mediante a inflação oficial medida pelo IPCA de 2017, que fechou em 2,95%.