Nova técnica permitirá conhecer vida cotidiana do Antigo Egito

Uma nova técnica foi desenvolvida por pesquisadores londrinos a fim de identificar o que foi escrito pelos egípcios nos papiros utilizados para envolver as múmias durante o ritual de mumificação.

Antes do corpo ser colocado na tumba, os egípcios envolviam o corpo com pedaços decorados de papiro, o material mais utilizado pelos egípcios na idade antiga. Como o material havia sido envolvido nos corpos das múmias, os pesquisadores enfrentaram um grande dilema: abrir os corpos e descobrir mais sobre a história egípcia ou preservar o patrimônio histórico.

Contudo, a tecnologia tem sido grande aliada dos pesquisadores e historiadores na descoberta de como os egípcios viviam no Antigo Egito. São a partir dos hieróglifos que os historiadores conseguem identificar como a civilização egípcia vivia naquela época. Um exemplo disso são os hieróglifos desvendados nas paredes das tumbas dos grandes faraós, que eram um retrato de como essas pessoas eram ricas e poderosas.

Com a nova técnica, os pesquisadores tem a possibilidade de desvendar a real história da civilização egípcia, que era aquela vivida pelas pessoas no dia a dia. Segundo o pesquisador da Universidade College London, Adam Gibson, esses papiros envoltos nas múmias podem revelar como as pessoas daquela época se comportavam em seu dia a dia, sem grandes ostentações de riquezas e poder.

“Os restos de papiro não utilizados acabavam servindo para fazer objetos de prestígio, que foram preservados por 2 mil anos”, revelou Gibson sobre os papiros encontrados nos rostos das múmias. “Essas máscaras são uma das melhores bibliotecas que temos de resíduos de papiro que seriam jogados fora. Elas incluem informações sobre essas pessoas, sobre a rotina delas.”

A explicação de Gibson para esse achado é que o papiro era utilizado no Antigo Egito para fazer lista de compras, declarações fiscais, entre outras utilizadas de escrita. Contudo, os materiais descartados pelo uso eram utilizados para preservar objetos e até mesmo pessoas. Sendo assim, as múmias encontradas pelos historiadores contém mais informação histórica do que parece.

A nova técnica utiliza a luz para poder escanear todo o material dentro do caixão da múmia. Com o tempo, o gesso responsável por envolver os invólucros das múmias acabaram por deixar a escrita obscurecida. Contudo, os pesquisadores conseguiram utilizar diferentes tipos de luz para que a escrita brilhasse mais intensamente.