Campanha chinesa pretende proteger imagens de personagens infantis

Uma campanha foi lançada na China para tentar proteger a imagem de personagens infantis, como a princesa Elsa, do filme “Frozen” da Disney; Peppa Pig, que é uma porquinha amorosa que mora com seus pais e seu irmão; e Mickey Mouse, criado em 1928. Ele é um dos mais conhecidos personagens da Disney, sendo considerado símbolo da The Walt Disney Company. Notícias revelam que a campanha visa preservar a imagem dos personagens, para que eles não sejam usados em situações pouco nobres e para que isso aconteça, ela pretende punir quem usar os personagens de forma incorreta.

Segundo um comunicado formulado pelo Escritório Nacional Contra Publicações Pornográficas e Ilegais, qualquer cidadão que publicar vídeos com conteúdo pornográfico ou violento usando personagens de histórias infantis, será punido rigorosamente em todo território chinês.

Essa norma foi divulgada pelo jornal “Shine”, que revela ainda que existem vários vídeos na internet feitos com personagens infantis conhecidos no mundo inteiro, usados para representar temas violentos, cruéis, pornográficos e também histórias de terror.

Nos últimos anos, esses vídeos com conteúdo impróprios ficaram passando em plataformas na China, como Baidu, Tencent, Youku, Sohu e iQiyi.

Alguns conteúdos dos vídeos por exemplo, mostram o Mickey Mouse sendo atropelado por um carro todo cheio de sangue, em outro vídeo aparece a princesa Elsa sendo operada em duas regiões do corpo, no cérebro e na garganta, sem contar as diversas outras situações onde os personagens infantis são colocados em temas inadequados.

Sites em outros países também publicaram vídeos com  os mesmos temas impróprios,  sendo excluídos do YouTube desde o último ano.

Uma das maiores plataformas, o Tencent, divulgou há alguns dias, que uma equipe especializada irá monitorar a sua plataforma e excluir todos os vídeos que apresentarem esses temas inadequados. Ela também afirmou que fechou definitivamente as mais de 120 contas, que foram responsáveis por essas postagens e impossibilitou mais de quatro mil palavras do seu buscador.

Quando foi feita essa divulgação por parte do Tencent, no mesmo dia outra plataforma, o Youku, também divulgou um comunicado semelhante dizendo que havia excluído vídeos, que continham temas impróprios com personagens infantis da plataforma, e que utilizaria uma supervisão mais rigorosa na divulgação de vídeos daqui por diante.