As árvores mais antigas já encontradas no planeta sobrevivem em ambientes totalmente adversos

Em condições que parecem totalmente inadequadas para a sobrevivência de qualquer espécie, apresentando temperaturas geladas, um vento incessante e a terra árida, a árvore considerada a mais antiga do planeta com 5.067 anos de existência, é encontrada nesse local. Essa árvore existe há mais tempo que  as famosas pirâmides  encontradas no Egito, sendo um pinheiro que fica nas Montanhas Brancas, na Califórnia, da espécie Pinus longaeva.

O Serviço Florestal americano mantém o local exato e o nome do pinheiro em sigilo, para que atos de vandalismo não ponham essa árvore em risco. Uma outra árvore da mesma espécie, é a segunda mais antiga com 4.845 anos e é chamada de Matusalém.

Essa espécie possui galhos retorcidos e sobrevive em um local rochoso, com cerca de mais de três mil metros de altura. Os termômetros nessa região costumam ficar abaixo de zero, sendo que a umidade é gerada pela neve. Nessa região as condições de sobrevivência são difíceis, mas devido à falta de concorrência com outras árvores por nutrientes, faz com que essa espécie seja beneficiada. A distância entre essas árvores, que faz com que não exista risco de incêndio nessa região. Essa espécie também possui uma madeira bem densa, forte em relação aos insetos, pestes, fungos e coberta por uma camada de resina.

A resistência desses pinheiros em relação aos elementos da natureza durante todo esse tempo, é impressionante. Nos anos 60, um pesquisador acabou derrubando uma árvore com a concordância do Serviço Florestal, e depois ele descobriu que o pinheiro chamado Prometeu, tinha na época 4.844 anos e era a árvore mais antiga que tinha sido descoberta até aquela data.

Em consequência desse fato, foi criado o Parque Nacional da Grande Bacia, que garante a preservação dos pinheiros mais antigos do mundo. Através dos estudos dessas árvores, os pesquisadores podem conseguir descobrir a razão dessa espécie viver tantos anos. Seguindo esse caminho, os cientistas poderiam ter um conhecimento maior em relação à longevidade dos seres humanos.

Outras árvores espalhadas pelo planeta também são bem antigas, como um cipreste-da-patagônia, que possui 3.627 anos e foi descoberto no Chile, uma figueira-dos-pagodes, que tem 2.222 anos e foi descoberta no Sri Lanka.