OMS diz que casos de tuberculose podem chegar a 9 milhões no país

A tuberculose é uma doença que afeta os pulmões e tem cura. É uma doença transmissível caso o paciente não realize o tratamento da forma correta. A tosse persistente por mais de 3 semanas é o principal sintoma da doença, e pode ser acompanhada ou não de catarro. Qualquer um que sentir esse sintoma deve procurar uma unidade de saúde para fazer o teste. Atualmente, estima-se que exista 9 milhões de novos casos da doença, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde.

No Brasil, o Sistema Único de Saúde disponibiliza o tratamento da doença que tem uma duração de seis meses gratuitamente. Em 100% dos casos a doença tem cura, desde que o paciente tenha sensibilidade aos medicamentos e que respeite o tratamento e a terapia medicamentosa, com as doses corretas e tempo determinado.

O tratamento inicia-se com orientação do que a pessoa será submetida e as características da doença. É explicado como será a medicação e a importância do uso correto e os efeitos colaterais e adversos. A melhora aparece logo nas primeiras semanas do tratamento, porém é fundamental que ele seja continuado para não perder os efeitos.

Na última década o Brasil reduziu a incidência dos casos em 22%, e a taxa de mortalidade pela doença em 20%. Uma das causas na redução da doença pode ser a descentralização do tratamento para a Atenção Básica, após serem alcançados os Objetivo do Milênio no combate a doença com três anos de antecedência.

O compromisso da redução de 95% das mortes e 90% da incidência da doença até o ano de 2035 foi assumida pelo Ministério da Saúde. As pessoas com suspeita da doença já contam com um teste rápido que mostra a presença do bacilo causador da doença, que tem resultado em duas horas e já mostra se existe alguma resistência ao antibiótico utilizado no tratamento, a rifampicina. Esses testes foram distribuídos estrategicamente em regiões com maior concentração de casos, que engloba as capitais e municípios que possuem mais de 130 casos novos da doença. As mais acometidas pela doença são as capitais de Porto Alegre, Recife e Manaus, com registro de 90 casos a cada 100 mil habitantes.

Foram 160 máquinas, que somam 640 mil testes por ano distribuídas pelo Ministério da Saúde.